[Lançamento] Dogs Eating Dogs – blink-182

Vamos falar de coisa boa! Vamos falar de coisa melhor do que TekPix!!! Sim, senhoras e senhores, o blink-182 voltou!

Depois do hiato de muito tempo, Mark, Tom e Travis seguiram caminhos diferentes com projetos musicais (ou não) diferentes. Mark se juntou com o Travis  formando o +44, além de comandar o Hoppus on Music. Tom também se juntou com o Travis formando o Box Car Racer, além de ter uma banda bem diferente do que eles faziam que é a Angels and Airwaves. Travis, além de ter formado bandas diferentes com o Tom e o Mark, tinha o Transplants, que é uma banda de rap, e, há pouco tempo, lançou seu álbum solo com várias participações especiais e formou o Psycho White com o Yellawolf.

A existência de cada projeto influenciou o resultado desse EP, coisa que não é vista no Neighborhoods. Por que? Porque, depois de tanto tempo, eles, finalmente, voltaram a gravar juntos. Não teve essa de cada um grava sua parte em um lugar e junta tudo no final. Esse EP foi, realmente, a mistura da experiência que cada um adquiriu com o tempo. Por isso que ele ficou lindo.

1.When I Was Young

O EP começa com um som bastante parecido com o que o Angels and Airwaves faz. O sintetizador comandando os primeiros acordes junto com uma bateria eletrônica é coisa do Tom. Mas o Mark e o Travis fizeram sua diferença. Travis com sua bateria super original e Mark com o baixo super presente e rápido – características punks que ninguém tira dele. Só fico curiosa em como o ficaria a música se o Mark tivesse assumido os vocais.

2. Dogs Eating Dogs

Se When I Was Young lembra Angels and Airwaves, essa, com certeza, tem a cara do +44. Ainda mais que é o Mark quem canta os versos (lembra muito Lycanthrope). Então seria assim se o Tom também fosse da +44. Se bem que, se ele fosse da banda também, seria o blink mesmo, né?

3. Disaster 

Sintetizadores nos levam de volta às redes de influência do AVA. E trazem consigo os acordes com oitava. Mas é  mais punk do que AVA. Que bom. Tem um refrão tão colante quanto chiclete, o Mark com voz de Miss You e te pergunta: do quê você tem medo? Sim, você é o amor do Tom!

4. Boxing Day

Boxing Day foi a primeira música a ser conhecida pelos fãs, mas não deixou de ser a mais surpreendente. Afinal, ela é folk. Eu não imaginava o quão legal seria se o blink resolvesse fazer uma música assim. E ela é muito legal. Assim como Disaster, tem um refrão tão grudante quanto chiclete – só que um chiclete mais potente. Cheguei a pensar que a pareceria do Mark com o Owl City deve ter influenciado nela. É a música mais natalina do EP de Natal.

5. Pretty Little Girl

Quando eu ouvi a guitarra do começo, me lembrei de Titanium do David Guetta. Felizmente, não é uma música eletrônica, por mais que tenha alguns sintetizadores por trás querendo aparecer. De novo, assim como Disaster e Boxing Day, tem um refrão tão colante quanto chiclete. E tem o Yellawolf fazendo um rap (!) muito legal pra completar a música. Que bom que ele é amigo do Travis.

Se você é fã do blink e não gostou, é porque não conseguiu se conformar com as mudanças. Eu fico muito feliz de saber que eles não vão parar com a banda e nem parar de tocar as músicas “velhas” ao vivo. Agora é torcer pro Travis superar o trauma com aviões pra que eles venha pro Brasil logo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s