Existe muita qualidade no ‘mundo pop’

As expressões ‘modinha’, ‘poser’, ‘popzinho demais’ e etc já são de vasto conhecimento popular. São usadas com frequência absurda em redes sociais, conversas informais e discussões sobre gostos musicais em geral. Quem as usa está queimando artistas (muitos deles com qualidade) e fechando os olhos pra muita coisa boa. Mais do que isso: está recusando uma oportunidade de crescer culturalmente.

Há 50 anos atrás, a ‘banda pop’ que atraía adolescentes, tocava nas rádios e vivia regada a meninas gritando seus nomes se tornou uma das melhores bandas de todos os tempos. A melhor, para alguns. Tirando um exemplo do meio de muitos, dá pra perceber que a ignorância nunca tem um lado bom na música.  Não digo que todas as bandas e cantores ‘do momento’ sejam excelentes, e nem que se tornaram em ‘mitos’ da música ou serão lembrados no futuro. Mas a verdade é que não pode se fechar os olhos pra qualidade musical e até logística desses hits.

Há cerca de dois anos atrás, muito se falava no Brasil sobre um furacão pop da Disney, que trazia Jonas Brothers, Demi Lovato e Miley Cyrus (a Hannah Montana). De outro lado, na mesma época, o McFLY (não tão pop assim), atraía sua legião de garotas e garotos gritando estridentemente por onde eles passavam. Os Jonas Brothers chegaram a ter entrevista exclusiva no Fantástico, enquanto o McFLY se apresentou no Domingão do Faustão. Criticadas por muitos, as bandas têm músicas de extrema qualidade em seus arranjos. Além disso, a voz e o domínio de palco que possuem são sensacionais.

Mais recentemente, surgiu o canadense Justin Bieber. É visivelmente indiscutível a falta de habilidade que o menino tem com a sua voz. Mas quando se escuta o único disco dele, My World, percebe-se que (SIM!), ele e seu staff tem lá suas qualidades. Diria que são muitas, se comparadas ao mais recente fenômeno pop Michel Teló (que também não é de todo descartável).

Algumas de minhas bandas favoritas foram descobertas através de rádios ou programas de televisão. ‘Misery Business’, do Paramore; ‘Animal’, do Neon Trees; ‘Pumped Up Kicks’, do Foster The People e ‘Clocks’ do Coldplay me entregam.

Quando se fecham os olhos para o que está na ‘vitrine popular’, fecham-se os olhos pro mundo ao seu redor. E, quando isso acontece, se torna incapaz o julgamento de qualquer coisa como boa ou ruim aos seus olhos. Apequena-se culturalmente, achando-se ‘cult’. O verdadeiro ‘cult’ é o que lê, escuta e assiste tudo aquilo que lhe é oferecido. Pode, sim, se tornar perda de tempo, quando não existe qualidade. Mas deixa de lado qualquer possibilidade de se tornar massa de manobra.

Advertisements

2 responses to “Existe muita qualidade no ‘mundo pop’

  1. Muito bom esse texto!!!

    O pop não pode ser descartado de modo completo e absurdo. Confesso que não curto os artistas listados aqui como Demi Lovato, Justin Bieber, McFly e etc, mas algumas músicas são boas, e os arranjos são muito bem feitos…

    E também concordo com a discussão a respeitos dos chamados ‘posers’ parece que as pessoas não querem que as suas bandas favoritas façam sucesso… eu fiquei muito feliz quando um dia tocou uma música da Boyce Avenue na rádio, só por saber que eles estão finalmente entrando no Brasil!

    Parabéns por levantar a bola! Gostei muito!

    • Fico feliz que tenha gostado. A popularização das bandas que se gosta tem que ser vista como divulgação do que é bom pelo apreciador dela. E não como revés.

      Agradeço por ter lido e gostado 😀

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s